Cursos Especialização | Inscrições 2017
 
Audiologia Clínica e Ocupacional
Especialização em Linguagem com Enfoque nos Distúrbios de Linguagem, Aprendizagem e na Atuação em Âmbito Educacional
Fonoaudiologia do Trabalho 
Neuroeducação: A Ciência do Cérebro e do Comportamento Aplicada ao Ensino e à Aprendizagem
Cursos Especialização | Em Andamento
Cursos Aprimoramento | Inscrições 2017
 
Aprimoramento em Disfagia e Assistência Hospitalar
Aprimoramento em Processamento Auditivo e Clinica Fonoaudiológica
Aprimoramento em Voz 
Aprimoramento em Neuroaprendizagem
Fonoaudiologia e Gerontologia - enfoque adultos e idosos
Aprimoramento em Motricidade Orofacial: Funções Orofaciais - Terapia e Discussão de Casos 
Diversidade Escolar – Reenquadramento a Sala de Aula em Diferentes Níveis de Aprendizagem, com Adaptações Curriculares e Adaptações das Provas Escolares
Transtornos Neurofuncionais do Desenvolvimento: Dislexia, Discalculia, Transtornos de Aprendizagem E TDAH
Grupo de Estudos em Avaliação Vestibular e Eletrofisiologia 
Transtorno do Espectro do Autismo (TEA): Um enfoque interdisciplinar
Cursos Aprimoramento | Em Andamento
Cursos Atualização
 
Cursos Atualização
Cursos Aprimoramento
Grupos de Estudos
 
HISTÓRICO DO CEFAC

O CEFAC iniciou suas atividades no ano de 1983. Três fonoaudiólogas, professoras do curso de graduação da PUC–SP, deram inicio a um curso de formação em Fonoaudiologia Clínica. Eu, Irene Marchesan, era uma das três. Nossa proposta era fazer um curso específico para fonoaudiólogos que quisessem conhecer e saber mais sobre como atender de forma mais adequada seus pacientes. O curso era de dois anos e tinha 480 horas. A primeira turma teve 21 alunos.

Esse curso de especialização foi pioneiro no Brasil. De 1988 a 1990 o CEFAC ministrou alguns módulos da especialização também na cidade de Porto Alegre. Em 1989 o fonoaudiólogo Dr. Jaime Luiz Zorzi passou a fazer parte do CEFAC. Até 1993 o CEFAC ministrou cursos de especialização em Fonoaudiologia Clínica e a partir de 1994, sentindo as tendências profissionais, passou a ofertar cursos específicos nas áreas de Voz, Motricidade Orofacial (MO), Audiologia e Linguagem.

Em outubro de 1995 o Conselho Federal de Fonoaudiologia (CFFa) regulamentou formalmente as especialidades de Voz, Linguagem, Audiologia e Motricidade Orofacial. Os cursos de especialização profissional do CEFAC foram os primeiros em todo o Brasil a receber o registro do CFFa. Em 21 de junho de 1996 tais cursos foram registrados no Conselho Federal recebendo a numeração 01/96 MO; 02/96 Linguagem; 03/96 Voz e 04/96 Audiologia. Nesse mesmo ano o CEFAC inicia esses cursos também nas cidades de Curitiba, Rio de Janeiro, Goiânia, Recife e Campo Grande, além de continuar suas atividades em São Paulo.

Os cursos iniciados em outras cidades ocorreram a partir de pedido de associações de fonoaudiólogos ou de fonoaudiólogos interessados na melhoria de sua formação. Muitos anos se passaram e o CEFAC ampliou suas atividades, pois a necessidade de melhor formação era enorme, não só no Brasil como fora dele. Além disso, a qualidade do curso, sempre elogiada por todos, fez com que o CEFAC, de forma natural, crescesse. Isso também ocorreu porque os professores, predominantemente mestres e doutores de diferentes Universidades e de centros de referência, como UNIFESP, USP-SP, USP-Bauru, PUC-SP, UNESP Marília, sempre trouxeram conhecimentos de ponta.

Desde 2005, o CEFAC tem, progressivamente, aumentado a oferta de cursos nas áreas da Educação e Aprendizagem, oferecendo formação voltada, principalmente para as Neurociências, a Neuroeducação e os Distúrbios de Aprendizagem. Seus cursos têm se tornado referência entre psicopedagogos, professores, psicólogos, fonoaudiólogos e demais profissionais que atuam nessa área do desenvolvimento e da aprendizagem.

O reconhecimento nacional, e a qualidade dos cursos ministrados, fez com que o CEFAC fosse convidado para dar formação para os fonoaudiólogos da Venezuela, Peru, Argentina, Chile, Colômbia e Portugal, ministrando cursos de especialização e ou aperfeiçoamento. De 1983 até julho de 2010 formaram-se no CEFAC 9384 profissionais. Para tanto, contamos com um quadro de 72 professores doutores e 57 professores mestres. De 2003 até 2010 foram apresentados, em diferentes congressos, 428 trabalhos científicos, o que corresponde a uma média de 61 trabalhos por ano.

O CEFAC também possui Comitê de Ética e Pesquisa, aprovado pelo Conselho Nacional de Saúde do Ministério da Saúde, em 14/08/2000. Do inicio do funcionamento desse Comitê até agosto de 2010 foram avaliados 1653 trabalhos.

O CEFAC também edita uma Revista Científica, classificada como B1 (www.revistacefac.com.br) e, a partir de 2010, iniciou a publicação bimensal, como tem sido recomendado pelos órgãos indexadores. Atualmente cada volume da revista contem cerca de 20 artigos, na sua grande maioria artigos originais. Desde o primeiro número da revista, em 1999, até agosto de 2010, foram publicados 685 artigos. A Revista recebe e publica artigos não só do Brasil, aceitando artigos escritos em português, espanhol e inglês. A Revista está indexada no Lilacs; Scielo; Latindex; GALE e EBSCO, estando em avaliação no MedLine; ISI e Scopus. A Revista CEFAC foi a primeira revista da área da Fonoaudiologia disponível eletronicamente com acesso gratuito a todos os seus artigos na íntegra e, de maio a setembro de 2010, ocorreram 13.941 visitas ao seu site.

No final de 1999 foi criado o Instituto CEFAC, com o objetivo de atender a população desfavorecida economicamente e que necessitava, principalmente, de atendimento fonoaudiológico. O Instituto CEFAC hoje é reconhecido pelos seguintes órgãos governamentais: COMAS – Conselho Municipal de Assistência Social; Departamento de Utilidade Pública Estadual; Departamento de Utilidade Pública Federal; Departamento de Utilidade Pública Municipal; Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA); Conselho Nacional de Estabelecimentos de Saúde (CNES) e Secretaria Estadual de Assistência e Desenvolvimento Social (SEADS). Trabalham no Instituto 59 profissionais da área da saúde e da educação sendo 36 deles voluntários. De 2007 até julho de 2010 foram atendidos 3.240 pacientes. Com apoio da Fundação Lemelson (dos Estados Unidos), o Instituto CEFAC abriga o projeto SolarEar, de produção de aparelhos auditivos de baixo custo e de carregadores solares para as baterias. Além do mais, desenvolve um projeto de inserção profissional e social de jovens surdos, que trabalham no projeto, sendo responsáveis pela montagem dos aparelhos e dos carregadores. Com apoio do Instituto ABCD desenvolve projeto de avaliação e atendimento de crianças e jovens com problemas de aprendizagem, assim como realiza treinamento de professores a fim de promover a inclusão de escolares com transtornos de aprendizagem (ver www.institutocefac.org.br e www.solarear.com.br).

Dra. Irene Queiroz Marchesan
Dr. Jaime Luiz Zorzi

CEFAC RIO

O Conselho Regional de Fonoaudiologia 1ª região organizou em Novembro de 1994, uma semana de atualização. Durante a apresentação, uma palestrante se destacou a ponto de despertar curiosidade de todos ali presentes. Sua determinação, firmeza e clareza ao descrever uma Fonoaudiologia mais atuante, apoiavam-se em dados científicos os quais não só comprovavam muitas das nossas atuações, como também nos fazia refletir e questionar alguns dos nossos procedimentos, até então aceitos por todos. Assim surgiu o CEFAC RIO. Todos ali presentes, quiseram conhecer um pouco mais do trabalho que era desenvolvido por Jaime Luiz Zorzi e Irene Queiroz Marchesan, diretores do CEFAC.

Em Janeiro de 1995, formamos a 1ª turma de Pós Graduação em Fonoaudiologia Clínica – 360H e nunca mais paramos.

Coordenado por Alegra Hadid, o CEFAC RIO teve grande importância na história do Rio de Janeiro pela contribuição científica que este curso trouxe para a nossa cidade.

Em março de 2007, recebeu do vereador Dr Carlos Eduardo, Moção de Congratulação e Louvor, pela dedicação, com responsabilidade social, administrativa e acadêmica, na qualificação e formação de fonoaudiólogos.
Através de corpo docente de excelente formação, recebeu reconhecimento por ser uma instituição ética, que atua com dignidade e comprometimento dignificando a profissão.

(Art 209 e 210 – Anais da Casa de Leis da Câmara Municipal do Rio de Janeiro - 29 de Novembro de 2007)
O CEFAC RIO organiza cursos de especialização, aprimoramento e atualização nas áreas de Audiologia Clínica e Ocupacional, Linguagem, Motricidade Orofacial , Disfagia e Voz.